N.World
Fundos FEDER

Quase um terço do orçamento total da UE entre 2014-2020 (351,8 bilhões de euros) é destinado à chamada política de coesão regional (fundos europeus e regionais), que visa apoiar através de investimentos estratégicos a criação de empregos, a competitividade empresarial, o crescimento econômico, o desenvolvimento sustentável e a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos em todas as regiões e cidades da UE. A política de coesão estabeleceu 11 objetivos temáticos para fomentar o crescimento para o período 2014-2020:

1. o fortalecimento da pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação.

2. melhorar o acesso, o uso e a qualidade das tecnologias de informação e comunicação.

3. melhorar a competitividade das PMEs.

4. Apoiando a transição para uma economia de baixo carbono.

5. Promover a adaptação à mudança climática e a gestão e prevenção de riscos.

6. Preservação e proteção do meio ambiente e promoção da eficiência dos recursos.

7. Promover o transporte sustentável e melhorar a infra-estrutura da rede.

8. Promover emprego sustentável e de qualidade e apoiar a mobilidade profissional.

9. Promover a inclusão social e a luta contra a pobreza e contra todas as formas de discriminação.

10. Investimento em educação, treinamento e aprendizagem ao longo da vida.

11. Melhorar a eficiência da administração pública.

Para alcançar estes objetivos, a Comissão Européia dispõe de três mecanismos de financiamento, administrados pelos Estados-membros através de acordos de parceria, que estabelecem programas de investimento que, por sua vez, canalizam financiamento para as diferentes regiões e projetos nos campos de ação correspondentes:

? Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER): promove o desenvolvimento equilibrado nas diferentes regiões da União Européia. Ela financia todos os 11 objetivos, mas suas principais prioridades de investimento são os objetivos 1 a 4.

? Fundo Social Europeu (FSE): apóia projetos relacionados ao emprego em toda a Europa e investe no capital humano da Europa (trabalhadores, jovens e pessoas à procura de emprego). As principais prioridades do FSE são os Objetivos 8 a 11, embora ele também financie os Objetivos 1 a 4.

? Fundo de Coesão (CF): financia projetos de transporte e meio ambiente em países cujo Rendimento Nacional Bruto (RNB) per capita é inferior a 90% da média da UE. Em 2014-2020, esses países são Bulgária, República Tcheca, Croácia, Chipre, Estônia, Grécia, Hungria, Letônia, Lituânia, Malta, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia e Eslovênia. Ela financia os objetivos 4 a 7 e 11.
Para o próximo orçamento de longo prazo da UE (2021-2027), a Comissão propõe a modernização da política de coesão, alocando um orçamento de 373 bilhões de euros. Os recursos continuarão a ser direcionados para as regiões que mais precisam recuperar o atraso em relação ao resto da UE. A maior parte dos investimentos do FEDER e da CF será direcionada para o inovaçãoapoio às pequenas empresas, tecnologias digitais (Grandes dados, Nuvem, Ciber-segurança...) e a modernização industrial, bem como a transição para uma economia de baixo carbono e circular e a luta contra a mudança climática, cumprindo assim o Acordo de Paris.

O que é um fundo FEDER

O Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) visa fortalecer a coesão socioeconômica dentro da União Européia, corrigindo os desequilíbrios entre suas regiões.
Como mencionado acima, o FEDER concentra seus investimentos em várias áreas-chave prioritárias, conhecidas como concentração temática:

  • Inovação e pesquisa.
  • Programa digital.
  • Apoio às pequenas e médias empresas (PMEs).
  • Economia de baixo carbono.

Os recursos do FEDER atribuídos a essas prioridades dependem do status da região (baseado principalmente no PIB per capita): quanto mais desenvolvida for uma região, maior será a porcentagem de fundos que ela deve dedicar a esses temas. Além disso, alguns dos recursos devem ser destinados especificamente a projetos de economia com baixo teor de carbono.
A FEDER dedica especial atenção às características específicas de cada região. A ação do FEDER é projetada para reduzir os problemas socioeconômicos e ambientais em áreas urbanas e se concentra particularmente no desenvolvimento urbano sustentável. Pelo menos 5 % de recursos FEDER são reservados para este fim, através de ações integradas gerenciadas pelas cidades.
Desta forma, as áreas geograficamente desfavorecidas (áreas remotas, montanhosas ou pouco povoadas) se beneficiam de um tratamento especial. Finalmente, as áreas ultraperiféricas também se beneficiam de assistência específica do FEDER para superar quaisquer deficiências devido ao seu afastamento.

Fundos FEDER em La Rioja

O Programa Operacional (PO) FEDER La Rioja 2014-2020 foi aprovado pela Decisão CCI 2014ES16RFOP016 da Comissão, de 18 de dezembro de 2014, com um custo total de investimento de 67,2 milhões de euros e uma ajuda comunitária de 33,8 milhões de euros.
Espera-se que esses investimentos contribuam para a criação de empregos, especialmente em setores com alto valor agregado, e para a melhoria da competitividade da economia regional, apoiando as PMEs. O programa se concentra nos objetivos 1-4, cumprindo as exigências de concentração temática e as diretrizes emitidas pela Direção Geral de Fundos Comunitários.

  • Objetivo Temático 1. melhorar a pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação (45,4%)
  • Objetivo Temático 2: Melhorar o uso, a qualidade e o acesso às TIC. (20.5%)
  • Objetivo Temático 3: Melhorar a competitividade das PMEs. (16%)
  • Objetivo Temático 4. Incentivar a mudança para uma economia de baixo carbono em todos os setores (11,1%).
  • Objetivo Temático 6: Proteger o meio ambiente e promover a eficiência de recursos (5,1%)
  • Objetivo Temático 13. Para alcançar a implementação efetiva da OP, apoiando a atividade de gerenciamento e controle e o desenvolvimento de capacidade nestas áreas (2%).

Como complemento, a Estratégia Europa 2020 propõe o desenvolvimento de uma estratégia de especialização inteligente (RIS3) por cada região européia para determinar suas prioridades e identificar as atividades elegíveis para o apoio do FEDER. La Rioja elaborou uma lista dos 8 principais desafios do Sistema de Inovação de La Rioja:

  • 1. treinamento: para atingir 20% da população em aprendizagem ao longo da vida e 40% de RH em ciência e tecnologia.
  • 2) Pesquisadores: obter 1% de pesquisadores do número total de funcionários na região.
  • 3. Recursos destinados a P&D&I: duplicação dos gastos em P&D em euros por habitante para 2% do PIB.
  • 4. Empresas líderes em P&D&I: aumentar as despesas de P&D para 66% do total, aumentando a intensidade de inovação e atingindo 33% de empresas inovadoras.
  • 5. Competitividade e transferência: aumentar as patentes EPO em um fator de 5 e a produtividade total em 401TTP2T.
  • 6. Setores líderes: aumentar o número de empresas de alta e média tecnologia, mantendo pelo menos 4.25% de emprego nesses setores.
  • 7. TIC: 75% de residências com acesso à banda larga, 50% da população utiliza o comércio eletrônico.
  • 8. Coordenação e colaboração entre os agentes do sistema de inovação em La Rioja.

 

Fundos europeus